Como saber se ela está a fim de você? 5 passos simples

A gente muitas vezes não sabe quando uma garota está a fim de nós. O pior é quando você acha que ela está a fim, mas na verdade está reparando na sujeira nos seus dentes depois do almoço. As dicas que elas dão nunca são 100% confiáveis, mas a maior parte das mulheres costuma dar algumas dicas específicas, em conjunto, quando está a fim de alguém. Quer descobrir essas dicas de Como saber se ela está a fim de você? Então, é só seguir o artigo!

Como saber se ela está a fim de você
Como saber se ela está a fim de você

Como saber se ela está a fim de você? 5 passos simples

  1. O primeiro passo é observar o contato visual que ela faz com você. Se ela mantém o olhar em sua direção por algum tempo e depois o desvia, ela provavelmente está pensando em você, talvez até mesmo pensando em falar contigo. Entretanto, deve-se prestar atenção para ter a certeza de que ela está olhando para você, e não para o rapaz do seu lado.
  2. As mulheres gostam de mexer no cabelo como sinal de flerte, pelo fato de buscarem numa ação partida delas, uma espécie de controle. Como por exemplo quando estamos sendo interrogados e ficamos olhando para nossas mãos e mexendo nos dedos sem motivo. Se você perceber que a mulher está mexendo no cabelo — não mexendo com algum motivo, como arrumá-lo — continuadas vezes, pode ser um sinal de flerte.
  3. Perceba como ela age diante de você, em uma conversa, por exemplo. Se ela fala de um modo mais descontraído e sorri com maior frequência quando fala com você do que quando fala com os outros rapazes de quem ela tem uma amizade, é um possível sinal do interesse dela.
  4. Preste atenção nos momentos em que ela te elogia. É comum receber elogios quando se está falando em determinados assuntos. Por exemplo, se vocês estão falando sobre musculação, é natural que ela elogie seu porte físico por causa do contexto. Mas muitas vezes as mulheres elogiam os rapazes em momentos que não estão sendo faladas as características que os elogios delas expressam. Por exemplo, se uma conversa está muito silenciosa, ela pode simplesmente falar que seus olhos são muito bonitos. Ela pode estar querendo passar a imagem de que percebeu aquilo naquele momento, mas se ela olhar com frequência para seu rosto, provavelmente já terá percebido isso.
  5. O último passo é para você ter certeza. Observe a mulher em seu círculo de amigas. Se elas ficarem olhando para você e soltarem risadinhas, é muito provável que você seja o assunto da conversa. Preste atenção ao tipo de risada. É algo que remete a algo engraçado, como uma piada, ou é o tipo de risada mais suave, que tenta ser encoberta? Se você se aproximar e a conversa cessar ou mudar de assunto, então é de você que elas estavam falando.

Como esquecer a EX? Saiba o que fazer para tirá-la da cabeça

Existe um ditado que diz que quanto mais você tenta esquecer algo, mais você estará lembrando. Isso é verdade, mas não significa que você não possa utilizar estratégias para pensar menos em alguém que te incomoda atualmente, como uma ex-namorada, por exemplo. Nesse artigo, você vai aprender algumas dicas de Como esquecer a EX, de modo que ela não te incomode mais.

Como esquecer a EX
Aprenda nesse texto Como esquecer a EX

Como esquecer a EX? Saiba o que fazer para tirá-la da cabeça

Não esteja esperando por um processo “tiro e queda”. Se você vir dicas nesse estilo na internet, são dicas que não são embasadas. As dicas a seguir talvez não te façam esquecer a pessoa, mas você certamente não se sentirá mais mal ao pensar nela.

  1. Inicialmente, tente organizar os pensamentos, mas sem remoer o que aconteceu. Se sua ex te incomoda, é muito provável que você se sinta triste ou com raiva. Faça um mapa mental com seus planejamentos. Sem a namorada, sua vida vai ser diferente, e você deve começar a pensar no que te faz bem. Talvez estar com seus amigos, ler ou fazer algum esporte ajude. Mantendo-se ocupado, você aos poucos pensará menos na ex.
  2. A segunda coisa a ser feita é, na verdade, uma coisa a não ser feita. Você não deve cair em cima das meninas, usando-as para esquecer a ex. Sabe por quê? Além de ser uma coisa errada — me refiro ao fato de usar uma pessoa para benefício próprio —, você provavelmente não conseguirá esquecê-la dessa forma, a não ser que esteja apaixonado por ela. E isso nos leva diretamente à terceira dica.
  3. Não se feche numa bolha, por mais segura que ela pareça ser. Quando você se fecha para as possibilidades, principalmente depois de uma decepção — que é quando tem mais chances de acontecer —, acaba se privando de desfrutar coisas que poderiam te fazer bem. Além disso, muitas vezes você chega a se privar de coisas que não têm nada a ver com a questão do namoro, que faz sentido evitar. Tudo bem tomar um tempo só para si, para esfriar a cabeça, mas a partir do momento em que você se permitir conhecer outras pessoas, de forma segura, um leque de possibilidades se abrirá. Se você ainda está apaixonado pela ex mas sabe que não vai dar certo, o melhor que pode fazer é cessar contato e se voltar para outras pessoas, não necessariamente num sentido romântico, permitindo-se. Assim, naturalmente você irá passar a pensar menos na ex.

Labirintite – Saiba como identificar e como tratar

A labirintite é uma doença que afeta o ouvido e as proximidades. Ela afeta o labirinto e as estruturas responsáveis pelo equilíbrio e pela audição. É apenas depois de quatro dias de infecção que os sinais se tornam mais intensos. Eles diminuem ao longo de três semanas até desaparecerem por completo.

Labirintite
Labirintite – Saiba como identificar e como tratar

Labirintite – Saiba como identificar e como tratar

Causas

Não são claras as causas da labirintite, mas infecções e inflamações podem acarretar no problema, como o resfriado. Outros problemas que podem provocar a labirintite, mesmo com menos frequência, são tumores, doenças neurológicas, alterações genéticas, compressões mecânicas, alergias e uso de medicamentos prejudiciais ao ouvido interno.

Sintomas

  • Sensação de pressão dentro do ouvido;
  • Líquido ou secreção saindo do ouvido;
  • Diminuição do equilíbrio e tontura;
  • Perda de cabelos;
  • Dor de cabeça;
  • Diminuição da audição;
  • Zumbido constante no ouvido.
  • Sudorese;
  • Náuseas e vômitos;
  • Vertigem, a sensação de que tudo ao redor está girando;
  • Febre acima de 38°C.

Como tratar

Inicialmente, a pessoa que apresenta os sintomas deve se consultar com um otorrinolaringologista, que vai indicar o melhor tratamento. Normalmente, o tratamento pode ser feito em casa, em um ambiente escuro e que não tenha barulho. É importante a ingestão de líquidos, como chá, água e suco, até os sintomas melhorarem. O médico pode receitar também medicamentos, como amoxicilina.

Uma dieta rica em ômega 3 pode ajudar na melhora dos sintomas. Portanto, são bem-vindos alimentos como:

  • Salmão;
  • Sardinha;
  • Sementes de chia.

Alguns alimentos, no entanto, podem piorar o quadro e por isso devem ser evitados. Alguns desses alimentos são:

  • Bebidas com muito açúcar, como refrigerantes e sucos industrializados;
  • Bebidas estimulantes, como café, coca-cola e chá mate;
  • Alimentos muito doces, como balas, sorvetes, bolos, chocolates e biscoitos;
  • Frituras e quaisquer outros alimentos ricos em gordura;
  • Bebidas alcoólicas;
  • Alimentos com muito sal, já que podem aumentar a pressão no ouvido, piorando a inflamação. É preferível usar ervas aromáticas, como alecrim e orégano;
  • Mel.

É mais que recomendado o consumo de água e fazer as refeições de três em três horas, porque isso ajuda a diminuir as crises de labirintite. É bom utilizar travesseiros altos para quando for se deitar e fazer caminhada regularmente.

Motivos de Dores no Peito – O que pode ser e como tratar

Em que você imediatamente pensa quando sente dores no peito? Meu palpite é que você pensa no coração. Saiba que dores no peito podem ter relação com o coração, mas não é sempre que é assim. Quer saber de outros motivos que leva as pessoas a sentirem dor no peito? Acompanhe o artigo!

Motivos de Dores no Peito
Motivos de Dores no Peito – O que pode ser e como tratar

Motivos de Dores no Peito – O que pode ser e como tratar

O correto é ir ao hospital se a dor não diminuir em 20 minutos, ou então se a dor não desaparecer em duas horas. Deve-se prestar atenção em quando a dor surgiu, na intensidade dela e se está acompanhada de outros sintomas, como febre ou náuseas.

* A causa mais comum de dores no peito é o excesso de gases, fazendo com que os órgãos sejam empurrados. Você consegue identificar essa causa porque ela vem em pontadas que desaparecem, mas que logo voltam, e pioram quando você comprime a barriga.

* Quando se sente uma dor no lado direito do peito, que pode irradiar para o coração, provavelmente é a vesícula biliar que está com inflamação ou cálculo. É uma dor que piora depois de comer, ainda mais quando se come alimentos gordurosos. Normalmente, é feito uma cirurgia para retirar a vesícula.

* Lesões musculares também podem gerar dores no peito. Essas lesões são muito comuns para quem faz algum tipo de esporte ou frequenta a academia. A dor que se sente pode piorar ao respirar, que pode ficar agravada em situações de estresse, por exemplo.

* A ansiedade e o estresse também podem provocar dores no peito. É comum em pessoas que sofrem de ansiedade ou síndrome do pânico. Você pode identificar a dor ao perceber outros sintomas, como falta de ar, coração acelerado, respiração rápida, excesso de transpiração e náuseas.

* As pessoas que sofrem de refluxo gastroesofágico podem sentir dor no peito, principalmente quando não fazem uma dieta adequada. A dor normalmente vem acompanhada de queimação no estômago e aperto na garganta.

Além dessas cinco causas, as dores no peito também podem ser causadas por:

* Úlcera no estômago;

* Problemas nos pulmões;

* Problemas no coração;

* E infarto, sendo essa a causa mais rara, mais comum em pessoas com problemas de pressão alta, fumantes ou com idade maior que 45 anos.

Câncer de Mama – Aprenda com identificar e quais os Tratamentos

O câncer de mama é um tumor maligno que é consequência de alterações genéticas nas células da mama, que começam a se dividir descontroladamente. O câncer de mama é o câncer que mais atinge as mulheres no mundo inteiro, chegando a 1,38 milhões de novos casos e 458 mil mortes pela doença por ano, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. Os homens também podem adquirir o câncer de mama, e a proporção é de que, a cada cem mulheres com o tumor, um homem o terá também. A seguir, você verá mais algumas informações sobre a doença e o tratamento.

câncer de mama
Veja como é o exame e como são os tratamentos

Saiba tudo sobre câncer de mama – Tratamentos

Há vários tipos e subtipos do câncer de mama. O diagnóstico tem como critérios informações como: se o tumor é invasivo ou não, seu tipo histológico, avaliação imunoistoquímica e sua extensão.

Tumor invasivo ou não

O câncer de mama não invasivo também chamado de câncer in situ, é aquele tumor que se encontra em algum ponto da mama, mas que não se espalha para outros órgãos. O tipo invasivo é o câncer de mama que tem rompida a membrana que o reveste, o que faz com que o tumor se espalhe para outras áreas. Todo câncer in situ possui potencial para se transformar em um tumor invasivo.

Avaliação imunoistoquímica

Também chamada de IQH, é o processo que avalia se o tumor tem receptores hormonais. Os receptores hormonais podem ser o de estrogênio, o de progesterona e o de HER-2. Eles servem como ancoradouro para esses hormônios, atraindo-os para o tumor, o que agrava a doença.

Tipo histológico do câncer de mama

É como se fosse o nome e sobrenome da doença. Há vários tipos histológicos que se dividem em subtipos, categorizados como são por causa de suas particularidades.

Estadiamento

O câncer de mama é dividido em quatro estádios estágios:

Estádio 0: quando o câncer ainda está nos ductos das mamas. O problema é quase sempre curável.

Estádio 1: o tumor tem menos de 2 cm, e não acomete as glândulas linfáticas das axilas.

Estádio 2: a doença invadiu a região local e tem entre 2 e 5 cm.

Estádio 3: o nódulo tem mais de 5 cm e pode alcançar regiões vizinhas, como pele e músculo e glândulas linfáticas.

Estádio 4: quando a doença comprometeu outras áreas, como ossos, pulmões, fígado etc.

Fatores de risco

* Histórico familiar;

* Idade entre 40 e 69 anos;

* Menstruação precoce;

* Menopausa tardia;

* Reposição hormonal;

* Colesterol alto;

* Obesidade;

* Ausência de gravidez;

* Lesões de risco;

* Tumor de mama anterior;

Sintomas

* Lesão de 1 cm³. Por isso, é importante fazer a mamografia preventiva;

* Alterações no formato dos mamilos e das mamas;

* Nódulos na axila;

* Secreção escura saindo pelo mamilo;

* Pele enrugada;

* Feridas (no caso de estágios avançados).

Tratamento

Terapia local de câncer de mama: cirurgia mais utilizada nos estágios iniciais da doença, e radioterapia para tumores que ainda não se espalharam. A radioterapia também pode ser utilizada para impedir que o câncer volte a crescer ou para não ter que retirar grande parte da mama. Dura aproximadamente um mês.

Terapia sistêmica do câncer de mama: quimioterapia, que usa medicamentos com o objetivo de destruir, controlar ou inibir o crescimento das células doentes, hormonioterapia para pacientes que apresentam pelo menos um receptor hormonal, e imunoterapia para bloquear alvos específicos.

Como tratar menstruação irregular? – Causas e tratamentos

O ciclo menstrual considerado ideal é de 28 a 30 dias, mas muitas mulheres não se adequam a esse prazo, então dizemos que elas têm um ciclo menstrual irregular. De 21 a 40 dias ainda são comuns, mas mulheres que têm um ciclo menstrual fora desse parâmetro precisam de ajuda para descobrir a causa dessa irregularidade.

Como tratar menstruação irregular
Como tratar menstruação irregular? – Causas e tratamentos

Como tratar menstruação irregular? – Causas e tratamentos

A irregularidade pode se dar de três formas:

* se o tempo entre cada período varia, sendo mais ou menos espaçado;

* se a mulher está perdendo mais ou menos sangue durante o período;

* se o número de dias da sua menstruação varia.

Várias podem ser as causas da irregularidade, como por exemplo:

* perda ou ganho de peso excessivo;

* transtornos alimentares, como anorexia e bulimia;

* amamentação;

* uso do DIU;

* alterações hormonais;

* síndrome dos ovários policísticos;

* distúrbios hormonais, como hipotireoidismo;

* miomas uterinos;

* outras causas.

O clínico geral pode diagnosticar a menstruação irregular, mas é preferencial ter uma consulta com o ginecologista. Você pode fazer um registro de suas menstruações para levar ao médico. Registre o intervalo entre os períodos, os dias que a menstruação dura e a aparência e consistência do sangue.

Tratamento

O tratamento da menstruação irregular depende do que leva a essa irregularidade. Por isso, primeiro deve ser descoberto a causa do problema, para então tratar essa causa. A menstruação irregular vai ser resolvida, então, naturalmente.

Caso a menstruação esteja atrasada, a mulher pode tomar algum tipo de chá que estimula o útero, como o chá de boldo. Mas tem que ser levado em conta que a mulher precisa confirmar que não está grávida fazendo o teste de gravidez, para só então tomar o chá, já que esse tipo de chá pode provocar problemas irreversíveis ao bebê ou mesmo à gravidez.

Chá de boldo para menstruação atrasada

  • Ingredientes

5 folhas de boldo

500 ml de água

  • Modo de preparo

Primeiro, deve-se colocar a água para ferver, e, depois de fervida, adicionar as folhas de boldo. Em seguida, coar e beber o chá três vezes por dia.

A melhor forma de perder gordura abdominal — COMPROVADO

Perder gordura abdominal importante porque, além de melhorar a imagem corporal, faz com que o acúmulo de gordura entre as vísceras diminua, o que diminui os riscos de doenças cardíacas. Nesse artigo, você verá a melhor forma de perder gordura abdominal.

melhor forma de perder gordura abdominal
Melhor forma de perder gordura abdominal

Melhor forma de perder gordura abdominal

Para auxiliar na perda de gordura abdominal, o método mais eficaz e seguro é auxiliar uma boa dieta — no caso, uma dieta com poucas gorduras e calorias — a exercícios localizados. Lembre-se que é interessante o auxílio de um nutricionista e de um profissional físico.

DIETA PARA PERDER GORDURA ABDOMINAL

A dieta tem que ser pobre em calorias, e por isso é muito bom incluir frutas cítricas na alimentação, como laranja e kiwi. Elas tem poucas calorias e são ricas em água. Alimentos como pão, massa e arroz não precisam sumir da dieta, mas devem ser consumidos na versão integral. Deve-se evitar alimentos como molho, sorvete, queijo amarelo, doces, bebidas alcoólicas e refrigerantes, fritura e bolo.

Para ajudar na dieta, é bom incluir alimentos como ovo e frango. Mas um nutricionista poderá auxiliar melhor o processo, afinal, a dieta de cada indivíduo deve se adequar às necessidades dele.

EXERCÍCIOS PARA PERDER GORDURA ABDOMINAL

Há três tipos de exercício para perder gordura abdominal, divididos em exercício superior, inferior e oblíquo.

Exercício para perder gordura abdominal superior:

Deitar no chão, de barriga para cima, com as pernas dobradas e levantar as costas, assim como na imagem. Fazer o máximo que conseguir e aumentar mais uma abdominal a cada dia.

Exercício para perder gordura abdominal inferior:

Deitar no chão, de barriga para cima, e levantar as pernas esticadas com uma bola média entre os pés ou próximo deles. Elevar as pernas do chão até a altura que mostra a imagem. Fazer durante um minuto, descansar por 10 seguros e fazer mais três séries dessa.

Exercício para perder gordura abdominal oblíquo:

Deitar no chão, de barriga para cima, com as mãos atrás da cabeça. Em seguida, dobrar as pernas, levantá-las do chão e puxar o joelho direito em direção ao peito, ao mesmo tempo que levanta as costas do chão e roda o tronco para tocar com o joelho esquerdo no cotovelo direito, e vice-versa.

Também é importante, além dos abdominais, fazer exercícios como natação ou caminhada, porque ajudam a perder a gordura do abdome. Então, lembre-se: dieta hipocalórica auxiliada a exercícios abdominais e 30 minutos de exercícios aeróbicos.

Saiba o que é Ovário Policístico e como tratar

A SOP (Síndrome dos Ovários Policísticos) é um distúrbio que faz com que cistos sejam formados durante o período de ovulação, devido ao desequilíbrio hormonal. Mas não é só isso. É normal o aparecimento de cistos no período de ovulação, mas eles desaparecem na menstruação. No caso das mulheres que têm a Síndrome dos Ovários Policísticos, os cistos continuam e modificam a estrutura do ovário, tornando-o até três vezes mais largo. É calculado que 20% das mulheres em fase reprodutiva têm a síndrome.

Síndrome dos Ovários Policísticos
Síndrome dos Ovários Policísticos

Síndrome dos Ovários Policísticos

Não se sabe ao certo a causa da Síndrome dos Ovários Policísticos, mas parte dela é de origem genética, pois irmãs ou filhas de uma portadora do distúrbio têm 50% de chance de desenvolvê-la. A SOP se caracteriza pelo desequilíbrio hormonal, que pode ser causado pela produção de insulina em excesso. É o excesso de insulina que é apontado como causador.

Sintomas

* Ciclos irregulares;

* Menor frequência de ovulação;

* Dificuldade para engravidar.

As mulheres com a Síndrome dos Ovários Policísticos podem desenvolver vários tipos de doenças, como cardiovasculares, diabetes tipo 2 e obesidade. Além desses problemas, algumas mulheres têm um excesso de hormônios masculinos por causa do desequilíbrio hormonal, o que pode ter como sintomas:

* Cravos e espinhas e aumento da oleosidade;

* Aumento do peso;

* Queda dos cabelos;

* Manchas na pele;

* Crescimento anormal de pelos na região do baixo ventre, seios, queixo e buço.

Como tratar a síndrome

A Síndrome dos Ovários Policísticos pode ser controlada por meio de medicamentos. Eles vão varias de acordo com o quadro de sintomas da paciente e suas complicações. Podem ser usados anticoncepcionais hormonais como pílulas, anéis vaginais e implantes para proteger o ovário contra a formação de microcistos e para diminuir os níveis de hormônios masculinos e de insulina. As mulheres que desejam engravidar precisam usar, no primeiro momento de tratamento, anticoncepcionais hormonais para regularizar a menstruação.

Pode ser necessário também tomar alguns outros cuidados, como por exemplo uma boa alimentação e exercícios físicos para controlar o peso e um dermatologista para as questões relacionadas aos problemas de pele que a síndrome pode causar.