Câncer de Mama – Aprenda com identificar e quais os Tratamentos

O câncer de mama é um tumor maligno que é consequência de alterações genéticas nas células da mama, que começam a se dividir descontroladamente. O câncer de mama é o câncer que mais atinge as mulheres no mundo inteiro, chegando a 1,38 milhões de novos casos e 458 mil mortes pela doença por ano, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. Os homens também podem adquirir o câncer de mama, e a proporção é de que, a cada cem mulheres com o tumor, um homem o terá também. A seguir, você verá mais algumas informações sobre a doença e o tratamento.

câncer de mama
Veja como é o exame e como são os tratamentos

Saiba tudo sobre câncer de mama – Tratamentos

Há vários tipos e subtipos do câncer de mama. O diagnóstico tem como critérios informações como: se o tumor é invasivo ou não, seu tipo histológico, avaliação imunoistoquímica e sua extensão.

Tumor invasivo ou não

O câncer de mama não invasivo também chamado de câncer in situ, é aquele tumor que se encontra em algum ponto da mama, mas que não se espalha para outros órgãos. O tipo invasivo é o câncer de mama que tem rompida a membrana que o reveste, o que faz com que o tumor se espalhe para outras áreas. Todo câncer in situ possui potencial para se transformar em um tumor invasivo.

Avaliação imunoistoquímica

Também chamada de IQH, é o processo que avalia se o tumor tem receptores hormonais. Os receptores hormonais podem ser o de estrogênio, o de progesterona e o de HER-2. Eles servem como ancoradouro para esses hormônios, atraindo-os para o tumor, o que agrava a doença.

Tipo histológico do câncer de mama

É como se fosse o nome e sobrenome da doença. Há vários tipos histológicos que se dividem em subtipos, categorizados como são por causa de suas particularidades.

Estadiamento

O câncer de mama é dividido em quatro estádios estágios:

Estádio 0: quando o câncer ainda está nos ductos das mamas. O problema é quase sempre curável.

Estádio 1: o tumor tem menos de 2 cm, e não acomete as glândulas linfáticas das axilas.

Estádio 2: a doença invadiu a região local e tem entre 2 e 5 cm.

Estádio 3: o nódulo tem mais de 5 cm e pode alcançar regiões vizinhas, como pele e músculo e glândulas linfáticas.

Estádio 4: quando a doença comprometeu outras áreas, como ossos, pulmões, fígado etc.

Fatores de risco

* Histórico familiar;

* Idade entre 40 e 69 anos;

* Menstruação precoce;

* Menopausa tardia;

* Reposição hormonal;

* Colesterol alto;

* Obesidade;

* Ausência de gravidez;

* Lesões de risco;

* Tumor de mama anterior;

Sintomas

* Lesão de 1 cm³. Por isso, é importante fazer a mamografia preventiva;

* Alterações no formato dos mamilos e das mamas;

* Nódulos na axila;

* Secreção escura saindo pelo mamilo;

* Pele enrugada;

* Feridas (no caso de estágios avançados).

Tratamento

Terapia local de câncer de mama: cirurgia mais utilizada nos estágios iniciais da doença, e radioterapia para tumores que ainda não se espalharam. A radioterapia também pode ser utilizada para impedir que o câncer volte a crescer ou para não ter que retirar grande parte da mama. Dura aproximadamente um mês.

Terapia sistêmica do câncer de mama: quimioterapia, que usa medicamentos com o objetivo de destruir, controlar ou inibir o crescimento das células doentes, hormonioterapia para pacientes que apresentam pelo menos um receptor hormonal, e imunoterapia para bloquear alvos específicos.

Como tratar menstruação irregular? – Causas e tratamentos

O ciclo menstrual considerado ideal é de 28 a 30 dias, mas muitas mulheres não se adequam a esse prazo, então dizemos que elas têm um ciclo menstrual irregular. De 21 a 40 dias ainda são comuns, mas mulheres que têm um ciclo menstrual fora desse parâmetro precisam de ajuda para descobrir a causa dessa irregularidade.

Como tratar menstruação irregular
Como tratar menstruação irregular? – Causas e tratamentos

Como tratar menstruação irregular? – Causas e tratamentos

A irregularidade pode se dar de três formas:

* se o tempo entre cada período varia, sendo mais ou menos espaçado;

* se a mulher está perdendo mais ou menos sangue durante o período;

* se o número de dias da sua menstruação varia.

Várias podem ser as causas da irregularidade, como por exemplo:

* perda ou ganho de peso excessivo;

* transtornos alimentares, como anorexia e bulimia;

* amamentação;

* uso do DIU;

* alterações hormonais;

* síndrome dos ovários policísticos;

* distúrbios hormonais, como hipotireoidismo;

* miomas uterinos;

* outras causas.

O clínico geral pode diagnosticar a menstruação irregular, mas é preferencial ter uma consulta com o ginecologista. Você pode fazer um registro de suas menstruações para levar ao médico. Registre o intervalo entre os períodos, os dias que a menstruação dura e a aparência e consistência do sangue.

Tratamento

O tratamento da menstruação irregular depende do que leva a essa irregularidade. Por isso, primeiro deve ser descoberto a causa do problema, para então tratar essa causa. A menstruação irregular vai ser resolvida, então, naturalmente.

Caso a menstruação esteja atrasada, a mulher pode tomar algum tipo de chá que estimula o útero, como o chá de boldo. Mas tem que ser levado em conta que a mulher precisa confirmar que não está grávida fazendo o teste de gravidez, para só então tomar o chá, já que esse tipo de chá pode provocar problemas irreversíveis ao bebê ou mesmo à gravidez.

Chá de boldo para menstruação atrasada

  • Ingredientes

5 folhas de boldo

500 ml de água

  • Modo de preparo

Primeiro, deve-se colocar a água para ferver, e, depois de fervida, adicionar as folhas de boldo. Em seguida, coar e beber o chá três vezes por dia.

A melhor forma de perder gordura abdominal — COMPROVADO

Perder gordura abdominal importante porque, além de melhorar a imagem corporal, faz com que o acúmulo de gordura entre as vísceras diminua, o que diminui os riscos de doenças cardíacas. Nesse artigo, você verá a melhor forma de perder gordura abdominal.

melhor forma de perder gordura abdominal
Melhor forma de perder gordura abdominal

Melhor forma de perder gordura abdominal

Para auxiliar na perda de gordura abdominal, o método mais eficaz e seguro é auxiliar uma boa dieta — no caso, uma dieta com poucas gorduras e calorias — a exercícios localizados. Lembre-se que é interessante o auxílio de um nutricionista e de um profissional físico.

DIETA PARA PERDER GORDURA ABDOMINAL

A dieta tem que ser pobre em calorias, e por isso é muito bom incluir frutas cítricas na alimentação, como laranja e kiwi. Elas tem poucas calorias e são ricas em água. Alimentos como pão, massa e arroz não precisam sumir da dieta, mas devem ser consumidos na versão integral. Deve-se evitar alimentos como molho, sorvete, queijo amarelo, doces, bebidas alcoólicas e refrigerantes, fritura e bolo.

Para ajudar na dieta, é bom incluir alimentos como ovo e frango. Mas um nutricionista poderá auxiliar melhor o processo, afinal, a dieta de cada indivíduo deve se adequar às necessidades dele.

EXERCÍCIOS PARA PERDER GORDURA ABDOMINAL

Há três tipos de exercício para perder gordura abdominal, divididos em exercício superior, inferior e oblíquo.

Exercício para perder gordura abdominal superior:

Deitar no chão, de barriga para cima, com as pernas dobradas e levantar as costas, assim como na imagem. Fazer o máximo que conseguir e aumentar mais uma abdominal a cada dia.

Exercício para perder gordura abdominal inferior:

Deitar no chão, de barriga para cima, e levantar as pernas esticadas com uma bola média entre os pés ou próximo deles. Elevar as pernas do chão até a altura que mostra a imagem. Fazer durante um minuto, descansar por 10 seguros e fazer mais três séries dessa.

Exercício para perder gordura abdominal oblíquo:

Deitar no chão, de barriga para cima, com as mãos atrás da cabeça. Em seguida, dobrar as pernas, levantá-las do chão e puxar o joelho direito em direção ao peito, ao mesmo tempo que levanta as costas do chão e roda o tronco para tocar com o joelho esquerdo no cotovelo direito, e vice-versa.

Também é importante, além dos abdominais, fazer exercícios como natação ou caminhada, porque ajudam a perder a gordura do abdome. Então, lembre-se: dieta hipocalórica auxiliada a exercícios abdominais e 30 minutos de exercícios aeróbicos.

Saiba o que é Ovário Policístico e como tratar

A SOP (Síndrome dos Ovários Policísticos) é um distúrbio que faz com que cistos sejam formados durante o período de ovulação, devido ao desequilíbrio hormonal. Mas não é só isso. É normal o aparecimento de cistos no período de ovulação, mas eles desaparecem na menstruação. No caso das mulheres que têm a Síndrome dos Ovários Policísticos, os cistos continuam e modificam a estrutura do ovário, tornando-o até três vezes mais largo. É calculado que 20% das mulheres em fase reprodutiva têm a síndrome.

Síndrome dos Ovários Policísticos
Síndrome dos Ovários Policísticos

Síndrome dos Ovários Policísticos

Não se sabe ao certo a causa da Síndrome dos Ovários Policísticos, mas parte dela é de origem genética, pois irmãs ou filhas de uma portadora do distúrbio têm 50% de chance de desenvolvê-la. A SOP se caracteriza pelo desequilíbrio hormonal, que pode ser causado pela produção de insulina em excesso. É o excesso de insulina que é apontado como causador.

Sintomas

* Ciclos irregulares;

* Menor frequência de ovulação;

* Dificuldade para engravidar.

As mulheres com a Síndrome dos Ovários Policísticos podem desenvolver vários tipos de doenças, como cardiovasculares, diabetes tipo 2 e obesidade. Além desses problemas, algumas mulheres têm um excesso de hormônios masculinos por causa do desequilíbrio hormonal, o que pode ter como sintomas:

* Cravos e espinhas e aumento da oleosidade;

* Aumento do peso;

* Queda dos cabelos;

* Manchas na pele;

* Crescimento anormal de pelos na região do baixo ventre, seios, queixo e buço.

Como tratar a síndrome

A Síndrome dos Ovários Policísticos pode ser controlada por meio de medicamentos. Eles vão varias de acordo com o quadro de sintomas da paciente e suas complicações. Podem ser usados anticoncepcionais hormonais como pílulas, anéis vaginais e implantes para proteger o ovário contra a formação de microcistos e para diminuir os níveis de hormônios masculinos e de insulina. As mulheres que desejam engravidar precisam usar, no primeiro momento de tratamento, anticoncepcionais hormonais para regularizar a menstruação.

Pode ser necessário também tomar alguns outros cuidados, como por exemplo uma boa alimentação e exercícios físicos para controlar o peso e um dermatologista para as questões relacionadas aos problemas de pele que a síndrome pode causar.