As 7 principais tendências pedagógicas

tendências pedagógicas

A educação já passou por muitas transformações ao longo da história e elas refletem nas tendências pedagógicas adotadas pelos professores. Afinal, a didática aplicada nas escolas reflete o pensamento da sociedade naquele momento.

Por isso, é importante que professores e alunos conheçam essas correntes para compreender melhor os processos de ensino. Para os docentes, especialmente, esse tipo de conhecimento é fundamental, já que orienta as práticas utilizadas em sala de aula e ajuda na tomada de decisões.

Inclusive, todas essas tendências são explicadas de maneira muito mais aprofundada no curso Estácio Pedagogia. Se você ainda não tem formação na área, vale a pena conferir a página e fazer já a sua matrícula. Mas se a sua intenção é só entender esses conceitos, continue lendo e confira nossa explicação!

Tendências pedagógicas brasileiras

A educação não funciona da mesma maneira em todas as partes do mundo. É só pensar nos filmes que você já assistiu e que mostram os colégios nos Estados Unidos, por exemplo. Eles são bem diferentes do que estamos acostumados por aqui, não é? 

E essas diferenças refletem em todo o processo de aprendizagem. Por isso, vamos focar nas tendências pedagógicas mais comuns no Brasil: as tendências liberais e as progressistas, que se desdobram em outras correntes mais específicas. 

Tendências Liberais 

As tendências pedagógicas liberais são aquelas que se apoiam na filosofia liberal. Ou seja, preparam os estudantes para a vida na sociedade capitalista, organizada em classes e baseada na propriedade privada. 

Essas são as tendências mais comuns em países com uma forte presença desse tipo de pensamento e priorizam o desenvolvimento individual. 

1. Tradicional

Essa foi a primeira tendência de ensino a se estabelecer no Brasil e em muitos países do mundo. Seu principal propósito é preparar os alunos para a vida na sociedade como ela é. Ou seja, para a manutenção dos pensamentos vigentes. 

Por isso, ela utiliza uma modelo no qual o professor é o único detentor de conhecimento e os estudantes são meros receptores de informação. Os alunos não são estimulados a questionar, fazer perguntas ou debater. Nessa estrutura, o docente é a autoridade maior e suas falas devem ser acatadas em qualquer situação. 

2. Renovada Progressivista

Mas um modelo muito rígido de aprendizagem é limitado. Por isso, surgiram iniciativas como as tendências pedagógicas liberais renovadas. Elas ainda focam no individualismo, mas como colocam foco maior no estudante. 

Por isso, os conteúdos aprendidos partem das necessidades e curiosidades do próprio aluno. Já a metodologia utilizada se baseia em pesquisas, experiências e na resolução de situações problema. 

Nesse sentido, o professor se torna um auxiliador do estudante, mais do que uma figura central nesse processo. Alguns dos pensadores que desenvolveram essa tendência foram Montessori, Decroly, Dewey, Piaget, Cousinet e Lauro de Oliveira Lima.

3. Renovadora Não Diretiva

Conhecida como Nova Escola, essa é mais uma das tendências pedagógicas centradas no indivíduo. 

Focado na formação psicológica dos estudantes, esse modelo também coloca os professores como facilitadores no processo de aprendizagem, que acontece a partir dos interesses dos alunos. Ela busca educar nas atitudes, mais do que desenvolver habilidades específicas ou sociais. 

No Brasil, o grande pioneiro dessa tendência foi Anísio Teixeira, conhecido como o pai das escolas públicas no país. 

4. Tecnicista 

Você já deve ter ouvido por aí que a função da escola é formar profissionais para o mercado. Essa visão é resultado de uma tendência tecnicista, focada em desenvolver habilidades que serão utilizadas no trabalho. 

Ela se baseia em um relacionamento bastante objetivo entre professor e aluno, no qual eles não têm um contato muito próximo. O professor é um especialista na área que está ensinando e, por isso, os alunos devem apenas ouvir o que ele tem a dizer. 

Entre as principais referências desta corrente estão a filosofia behaviorista e o psicólogo B. F. Skinner. 

Tendências progressistas

As tendências pedagógicas progressistas, por outro lado, acreditam que a educação possui uma função transformadora na sociedade. Essas correntes defendem uma visão sócio política da pedagogia e, por isso, desejam alterar a configuração do sistema em que vivemos. 

1. Libertadora

A pedagogia libertadora é uma das tendências progressistas mais conhecidas no Brasil. Afinal, seu principal teórico foi o educador Paulo Freire, que acreditava em uma educação crítica, a serviço da transformação da sociedade. 

Por isso, essa tendência se baseia na criação de consciência política nos alunos, a partir da problematização de situações do dia a dia. A relação entre professor e aluno é de igual para igual e a aprendizagem acontece em grupos de discussão. 

2. Libertária

Da mesma forma, a educação libertária também valoriza a aprendizagem em grupo. Nesse modelo, o foco é na autogestão e nas relações livres entre professor e aluno. Por isso, os conteúdos são apresentados, mas não exigidos, e a repressão é desaconselhada. 

Essa tendência pedagógica tem grande inspiração no Anarquismo e alguns dos seus principais pensadores são Célestin Freinet, Sébastien Faure e, no Brasil, o sociólogo Maurício Tragtenberg. 

3. Crítico-social dos Conteúdos

Por fim, vale mencionar ainda a tendência Crítico-social dos Conteúdos, também chamada de Histórico-crítica. Essa corrente de pensando na educação chegou no Brasil nos anos 70 e foca na transmissão de conteúdos ligados à realidade social. Assim, procura formar alunos preparados para atuar na democratização da sociedade. 

Para isso, o professor serve como um mediador, que estimula a aquisição de conhecimentos e a socialização. Entre as principais referências para essa tendência estão Anton Makarenko, Bernard Charlot e o brasileiro Dermeval Saviani. 

De maneira resumida, essas foram as principais tendências pedagógicas aplicadas e estudadas no Brasil. Como você viu, elas nem sempre estão sozinhas, mas são utilizadas de maneira combinada por educadores e instituições de ensino. Porém, é fundamental conhecê-las para saber de que maneira o ensino pode melhorar no país. 

Além disso, esses conteúdos são bem frequentes em concursos públicos. Então se você quer seguir por uma carreira nesse setor, continue estudando! 

Como deixar o seu filho mais seguro na internet

crianca na internet

Não tem jeito: quanto mais avançamos na tecnologia mais estamos conectados à internet e isso não se resume apenas aos adultos, não. Segundo a TIC Kids, uma pesquisa feita pelo Comitê Gestor de Internet no Brasil, hoje 79% das crianças e adolescentes entre 9 e 17 anos estão na internet.

Diante desses números e entre outros estudos que podemos encontrar com facilidade com uma breve pesquisa, é difícil não pensar em como a internet e a tecnologia pode estar impactando no desenvolvimento e na segurança dos pequenos.

A internet pode ser uma grande fonte de conhecimentos, mas também pode se tornar em um grande perigo para as crianças, se não forem tomadas as devidas precauções. Você sabe quais são elas? Não? Não se preocupe, porque reunimos os principais cuidados que os pais e responsáveis pelos baixinhos precisam tomar na hora de se conectar com o mundo. Olha só:

Cuidados para deixar o seu filho ainda mais seguro na internet 

  • Veja se seu filho está consumindo conteúdo ou propaganda

Apesar de vários países pelo mundo restringem a publicidade infantil, por considerá-la abusiva, além de afetar o desenvolvimento das crianças e até mesmo acarretar problemas de saúde, a propaganda infantil ainda é muito comum e muitas vezes subliminar.

Por isso, é importante saber o que possui nos desenhos favoritos ou nos jogos favoritos de seus filhos, pois quando são expostas a propaganda em meio ao seu conteúdo favorito, elas são absorvidas sem perceber e se tornando alvos mais vulneráveis.

  • Verifique se o que ele está assistindo é ideal para a idade dele

Na internet, podemos encontrar pessoas tentando ajudar e outras querendo apenas atrapalhar. Com isso, existem muitos vídeos falsos imitando desenhos famosos, como Peppa Pig e Frozen, mas eles possuem conteúdos inapropriados para crianças, no qual os personagens infantis fumam cigarros, são torturados com instrumentos de dentista e transformam pessoas em zumbis com injeções.

Portanto, o ideal é você pesquisar primeiro qual é o tipo de conteúdo que o vídeo que eles assistem possui ou os que você encontra para entretê-los.

  • Garanta a privacidade do seu filho na internet 

A Geração Alpha nasceu junto com a era digital e já era de se esperar que eles fossem mais conectados do que quem nasceu em outras gerações, que só foram ouvir falar em internet no ínicio da adolescência ou até mesmo na vida adulta. Mas, isso não quer dizer que eles precisam estar presentes em tudo logo cedo.

As redes sociais são sempre uma polêmica: crianças podem estar nas redes sociais? E a respostas é depende da idade. A idade permitida para a maioria das redes sociais é de 13 anos e de 16 anos para o WhatsApp. Para menores de 13 anos, já existem redes específicas, como Kidzworld, Grom Social, Club Penguin, Yoursphere, GiantHello etc. 

Vale lembrar que mentir a idade é considerado falsidade ideológica e é considerado crime, mesmo dentro das redes sociais.

Mesmo com todo o perigo que existe na internet, ainda é possível ensiná-lo a acessar sites e plataformas que oferecem conteúdo que irão contribuir para o seu desenvolvimento, além de ter a possibilidade de criar momentos em família assistindo a filmes e desenhos juntos, assim criando laços familiares ainda mais fortes.

Para acessar ao conteúdo indicado para o seu filho é necessário que possua uma conexão de internet banda larga estável na sua residência. A Vivo Fibra  que iniciou em parceria com a GVT no mercado de Internet banda larga oferecendo as melhores ofertas e serviços de internet. Conheça os planos da internet eleita a mais rápida do país e deixe a experiência do seu filho com a internet ainda mais segura e estável.

Bolsa Medicina: é possível conseguir bolsa para estudar medicina?

Como você já deve saber, o curso de Medicina é o mais disputado do Brasil, seja em universidades públicas, privadas, ou nos programas do Exame Nacional do Ensino Médio. O motivo para a alta concorrência são as ótimas oportunidades de trabalho para quem faz o curso, os altos salários e também a missão de salvar vidas e curar pacientes.

Quem tem interesse em entrar nessa graduação e não pode pagar pela mensalidade, deve estar procurando por oportunidades de Bolsa Medicina. Se você é uma dessas pessoas, fique tranquilo, há boas opções de auxílio para quem busca ingressar nessa carreira.

Neste texto, vamos te explicar brevemente como funciona o curso de Medicina e quais são as bolsas que existem para quem busca fazer a graduação em uma universidade particular. Entre as principais opções estão as bolsas do Prouni, as bolsas de secretarias de estado e municipais de educação e bolsa para  Medicina nas próprias universidades. 

bolsa medicina

O curso de Medicina 

Não é à toa que o curso de Medicina é o mais buscado por estudantes no país. As áreas de atuação são diversas, na esfera pública, privada e em organizações não governamentais. Quem se forma em Medicina pode atuar como cardiologista, oftalmologista, pediatra, cirurgião, psiquiatra, enfim, são diversas possibilidades! 

A graduação em Medicina tem uma duração de seis anos e mais dois, no mínimo, de residência, caso o recém-graduado queira se especializar em alguma das áreas citadas. Isso faz com que o curso seja longo e a dedicação a ele tenha que ser muito grande, o que muitas vezes inviabiliza trabalhar e estudar ao mesmo tempo. 

Se você se identifica com esse caso e necessita de uma bolsa de estudos para cursar Medicina, saiba que existem ótimas opções de auxílio para aqueles que não têm renda para pagar uma mensalidade.

Bolsas pelo Prouni

O Programa Universidade para Todos (Prouni) é um dos três programas oferecidos pelo Ministério da Educação para aqueles que fizeram o Enem. É o segundo mais disputado, ficando atrás apenas do Sisu, que oferece vagas nas instituições de ensino superior públicas do país. Caso você não tenha conseguido uma nota suficiente para entrar em Medicina pelo Sisu, saiba que as notas de corte do Prouni são menores, ou seja, há mais possibilidades de você conseguir ingressar na carreira de Medicina!

As bolsas ofertadas pelo Prouni podem ser tanto parciais, de 50%, ou integrais. Para concorrer ao programa você deve ter tirado no mínimo 450 pontos nas provas gerais do Enem e não ter zerado a redação. O Prouni é um programa federal e conta com universidades do país todo, por isso acaba sendo o meio mais comum de se conseguir uma bolsa para Medicina.

As bolsas também têm um pré-requisito de renda, ou seja, são ofertadas para aqueles que não podem bancar o curso e que tenham como comprovar isso.

Os três requisitos do Prouni são:

1 – Ter feito o ensino médio em rede pública ou como bolsista integral na rede particular;

2 – Renda familiar mensal bruta de três salários mínimos;

3 – Não ter um diploma de curso superior.

A nota média de corte para o Prouni em Medicina está entre 700 e 850 pontos, e há opções para o primeiro e o segundo semestre de cada ano letivo.

Mas o Prouni não é a única opção caso você busque uma bolsa para  Medicina. Há ainda oportunidades nas secretarias de educação de estados e municípios e também dentro das próprias universidades.

Bolsas das secretarias de estado de educação

Outra ótima opção de bolsa para  Medicina são as secretarias estaduais e municipais de educação que ofertam auxílio para estudantes que não possuem condições de pagar uma mensalidade. 

As mensalidades de Medicina são as mais caras do país, porque o curso é longo, os professores devem ser altamente especializados e os laboratórios devem ser equipados com instrumentos de alta qualidade, o que acaba saindo muito caro. 

O Estado de Santa Catarina, por exemplo, possui o programa de bolsas Uniedu. Já o estado de São Paulo tem o projeto Bolsa Universidade. Vale a pena se informar diretamente nas secretarias estaduais e municipais da sua região para verificar a oportunidade de conseguir uma bolsa e cursar a tão sonhada graduação em Medicina. 

Bolsas na própria universidade

Por fim, as próprias universidades podem oferecer bolsas de estudo para os estudantes que tenham tido boas colocações no vestibular e tenham uma situação socioeconômica precária. 

Essas bolsas podem ser parciais ou integrais, e em alguns casos podem haver convênios com algumas empresas para ofertá-las. Os requisitos para conseguir e manter a bolsa vão depender de cada universidade, mas podem incluir o bom rendimento nos estudos e uma boa nota nas disciplinas.

Lembre-se sempre de buscar uma universidade reconhecida e bem avaliada pelo MEC, assim você garante que está investindo seu tempo e sua dedicação a uma faculdade que irá te trazer grande retorno para a sua vida profissional.

Tem mais alguma dúvida sobre como funcionam as bolsas de Medicina no Brasil? Deixe nos nossos comentários que iremos ajudá-lo a alcançar o sonho de estudar na área de saúde!

Os 5 melhores programas de Intercâmbio para Jovens

Existem diversas formas de se preparar para a vida adulta e a vida que está à frente, realizar um intercâmbio é uma delas. Muitos jovens têm o sonho de viajar de avião para outro país e verdadeiramente entrar em contato com a cultura local e extrair o máximo de conhecimento e aprendizado dessa experiência.

Viajar sozinho, para um país que fala uma língua diferente e encarar desafios totalmente novos é um preparatório e tanto para a vida adulta não é mesmo? É uma forma incrível de amadurecer e aprender a lidar com responsabilidades. Certamente é um momento único na vida dos jovens que têm essa oportunidade.

Se você está pensando em pular de cabeça nesse tipo de experiência, separamos aqui os 5 melhores programas de intercâmbio para jovens:

programas de Intercâmbio

Curso de idiomas

Um dos pontos positivos e maiores atrativos dos programas de intercâmbio com foco em curso de idiomas é que eles não exigem nenhum nível de fluência do intercambista na língua do país escolhido. Como o estudante está indo para aprender e praticar, não é necessário que ele tenha alguma experiência ou já tenha estudado a língua previamente.

Nesse modelo também é bastante comum uma grande variação no período de duração do programa – podendo durar de semanas a meses, conforme a preferência de cada um.

Apesar de o foco central ser aprender uma nova língua, muitos intercambistas optam por trabalhar meio período durante o tempo em outro país. Essa é uma opção que muitos fazem pois ajuda a arcar com os custos da viagem e também proporciona a experiência de exercitar a língua com pessoas nativas.

High School

Esse modelo de intercâmbio é exclusivamente voltado para estudantes que estão ou vão cursar o Ensino Médio e estão dentro da faixa etária de 14 a 18 anos. A duração pode variar de um semestre a um ano e o aluno tem a oportunidade de cursar um período do seu Ensino Médio em uma escola em outro país.

Os destinos mais populares são países que tem a língua inglesa como língua oficial, como por exemplo Estados Unidos, Austrália, Reino Unido, Canadá, Nova Zelândia e África do Sul. Para se inscrever é necessário um domínio intermediário do inglês e os candidatos estão sujeitos à aplicação de testes de nivelamento e comportamentais, visto que ficarão abrigados com famílias ou dormitórios coletivos.

Os resultados desse modelo de intercâmbio são os mais positivos. Os jovens participam de atividades locais com os nativos, frequentando os espaços de convivência e outros eventos.

O aluno vive a experiência de um morador e tem a oportunidade de conhecer a fundo a cultura local.

Graduação ou pós graduação

Esse tipo de intercâmbio é muito popular entre os universitários ou recém graduandos pois promove a oportunidade de os alunos realizarem especializações no exterior por meio de parcerias com diversos institutos de pesquisa renomados. Em muitos casos, também é possível que haja a participação em projetos remunerados ou em intercâmbios com bolsas de estudos.

É muito provável que sua faculdade mantenha parceria com outras universidades no exterior, conferindo diversas oportunidades aos seus alunos. Geralmente, por ser um processo realizado junto à instituição de ensino, prazos, valores, nível de fluência na língua e outros fatores são detalhes a serem vistos com as universidades – tanto a de origem quanto a de destino.

Aupair

Esse modelo de intercâmbio é mais indicado para jovens meninas que tem facilidade com crianças e gostariam de trabalhar como babá no exterior. As maiores vantagens nesse tipo são: garantia de moradia e remuneração financeira. O intercâmbio de AuPair pode ajudar a custear um bom curso de línguas no exterior e auxilia na fluência do idioma, já que a duração tem média de um ano.

Trabalho no Exterior

Por último, podemos citar os intercâmbios que oferecer oportunidades gerais de trabalho no exterior. Esse modelo é bastante procurado e muito popular, visto que a remuneração na moeda local é um atrativo bem forte. As atividades realizadas são legalizadas e podem durar de quatro a doze meses.

Aqui foram apresentados 5 tipos de intercâmbio mais populares entre os jovens. Esperamos que você possa ter encontrado o seu! Não se esqueça de pesquisar bastante sobre todos os aspectos dessa experiência incrível antes de embarcar!

Como Estudar para concurso: 5 dicas incríveis!

Fazer concurso é o desejo de várias pessoas, pois elas veem nos concursos uma forma de conseguir um bom emprego e ter mais estabilidade. Claro que com os programas como educamais e quero bolsa, ainda da pra fazer uma boa faculdade, mas a verdade é que muita gente não pode esperar até se formar e é aí que o concurso se torna uma boa opção. Além do mais, algumas pessoas desejam fazer concursos visto que a sua área de atuação só é possível entrar por meio deste.

Existem vários tipos de concurso, desde os de cargos mais baixos até os que são para cargos altos e por isso é necessário que você saiba que concursos são muito concorridos, por isso você deverá estar muito bem preparado para conseguir passar. E se você deseja saber como estudar para concurso, este artigo foi feito para você!

A seguir eu separei 5 dicas incríveis para te ensinar como estudar para concurso de maneira correta e garantir a sua vaga. Confira!

Estudar para concurso

5 dicas incríveis de como estudar para concurso

Muitas pessoas ficam anos estudando e mesmo assim não conseguem passar em um concurso e isso pode estar acontecendo porque elas estão estudando de maneira errada e é por isso que abaixo eu irei dizer algumas dicas incríveis que você não poderá deixar de seguir se deseja sua aprovação no próximo concurso.

Estude os conteúdos certos

Não adianta você estudar muito e não estudar os conteúdos certos, por isso você deverá pesquisar editais anteriores das provas do concurso que deseja fazer e pesquisar sobre os assuntos que foram mais recorrentes nessas provas, pois estes terão mais chances de cair.

Lembre-se também de não tirar o mesmo tempo para todos os conteúdos, priorize aqueles que você possui mais dificuldade e de menos tempo para os que têm mais facilidade, assim suas chances de acertar serão maiores.

Tenha foco

Não será de um dia para o outro que você irá aprender todo o conteúdo necessário para fazer um concurso, por isso você deverá se preparar com antecedência tirando algumas horas diárias para estudo. Você também poderá fazer algumas questões por dia, assim irá conseguir ver o quando aprendeu ao longo do tempo.

Resolva provas anteriores

Quando você resolve provas anteriores  irá colocar em prática o conteúdo que foi estudado, assim saberá quais são os tipos de questões que poderão cair e quais serão suas dificuldades. Ao realizar provas antigas você também irá conseguir ter mais técnica e isso será importantíssimo para obter sucesso.

Fique de olho em videoaulas

Nem sempre você irá conseguir aprender todo o conteúdo apenas lendo o material disponível, por isso uma ótima dica de como estudar para concurso é assistindo videoaulas que tenham o conteúdo que irá cair em seu concurso, assim você conseguirá entender melhor o conteúdo.

Evite distrações

Quando você estiver estudando é essencial evitar distrações, por isso fique em um lugar onde não terá movimentação, que seja calmo e silencioso e tenha por perto tudo o que for necessário para o seu estudo a fim de que você não o interrompa para pegar algo que está longe e isso irá evitar que você perca a concentração.

Ainda ficou alguma dúvida sobre como estudar para concursos? É só deixar um comentário que em seguida iremos responder você!